Pensamento

De onde vem esta aura
que como pincel mágico,
mesmo em nublado dia
colore a manhã de minha saudade?

*Quem ama..*

Nos perdemos pelos caminhos da vida,

por intempéries separados sem piedade

pelo tempo que passou indiferente

afastando de nós qualquer felicidade



Você também aos poucos esqueceu,

sonhando venturas em outros braços,

indiferente seguiu o rumo sem ver

a pobre minha sombra em seu encalço



Buscou  e viveu emoções variadas,

fez e recebeu falsas juras de amor,

esqueceu dos breves momentos

onde meus braços lhe deram calor



A vida sempre tem dessas coisas,

vai maltratando quem ama de verdade

mantendo com carinho cultivada no peito

uma flor especial da maior raridade


Desafinada

Em si bemol pranteio a vida
mas em sol maior faço acalanto
confesso assim em melodia
que te amo...quanto e tanto!

Numa trova assim desafinada
cantando bem alto sem temer
te amo e nem sabes disso
estou ao seu lado sem me perceber

Porém sei que nada é acaso
seus passos sempre acompanhei
segui pela sombra escondida
ouvindo teu choro emocionei

Agora que o tempo passou
teu caminho mudou de lado
quase nada mais posso esperar
mas saiba que foi muito amado

VIDRAÇA

Através da vidraça os olhos quase não alcançam

o horizonte em detalhes acinzentados

descortina-se lá fora a visão da liberdade

embora ali dentro existam braços acorrentados



Sobre a mesa simples a louça especial

ornando com a toalha de renda branca e linda

tingida por pétalas de flores caídas

apenas lembranças em outra tarde que finda



O corpo transpirou e quase dormente

deixou agitar o coração em desarmonia

n'alma os sonhos aos poucos sucumbiram

flutuando apenas em sensações de agonia...








A cada dia que passa, no rumo de minha vida, dou graças a Deus pela alegria que ainda posso sentir. Mesmo que algo contrarie meu viver, faço dos momentos uma oração de agradecimento por respirar, enxergar e ouvir.

CORUJANDO

As corujinhas passeiam à vontade pela noite e pela manhã ficam perdidas quando a claridade as pega de surpresa,então cegas pela luz param em algum canto,mas ficam de sobreaviso contra intrusos,com o instinto de sobrevivencia em alerta.


ECOAMOS CORUJANDO EM SINFONIA MALUCA

LUA

Com a lua ao fundo,
testemunha emudecida
que vaga pela noite
entontecida como eu,
vou em busca de um canto
onde talvez repousar,
guardar a minha luz,
aconchegar-me sem medo
do novo amanhecer que virá


Sem inspiração




Cantam pássaros na tarde morna

rodeando as plantas do jardim

fazem festa entre si com alarde

nem notam a tristeza em mim



Ficam ali em completa balburdia

cantando em perfeito diapasão

não ouvem que os acompanho

com o canto triste de meu coração



Nem adianta que eu chegue perto

a vida deles é plena natureza

enquanto a minha é um deserto

tendo por companhia a tristeza



Tenho comigo um sonho perdido

de algo que apenas vislumbrei

um amor que morreu sem ter nascido

pois a ele a vida sem querer neguei






As vezes quando chove

Nada melhor do que poder olhar

a chuva, benção da natureza,

caindo em suave vagar

lavando tudo com sua leveza



Chuva, lágrimas das nuvens

fazendo eco em meu coração,

sempre a ela junto-me a cantar,

enalteço a vida com emoção



A chuva traz muita lembrança

de alguns momentos vividos,

não a escutas quando ela chama

por alguém que há partido?



Traz em gotas, pedaços da alma,

porque não tenho o amor comigo

mas converte em canção e calma

o choro que calar, não consigo





Através da vidraça,os olhos quase não alcançam 

o horizonte em detalhes acinzentados,

descortina-se lá fora a visão da liberdade

embora ali dentro existam braços acorrentados



Sobre a mesa simples a louça especial

ornando com a toalha de renda branca e linda,

tingida por pétalas de flores caídas

apenas lembranças em outra tarde que finda



O corpo transpirou e quase dormente

deixou agitar o coração em desarmonia,

n'alma os sonhos aos poucos sucumbiram

flutuando apenas em sensações de agonia...







"Aquela música"


Aquela Música







Se ouvires o canto do vento

a soprar aos teus ouvidos,

saibas que fui eu quem o compus

para que ouças os sustenidos

São palavras de pleno amor

numa canção de carinho,

ouvindo-a serás abraçado

não ficarás mais sózinho

Só assim posso te alcançar

através dessa amplidão,

por ti irei sempre musicar

mesmo que não ouças a canção

Prelúdio Outonal

Vento frio que arrepia a alma

perpassando poros em suaves tangencias

trazes também dos rumores da vida,

silvos,fragrancias e reticencias,



Mostras assim cálidos suspiros

das brumas que cruzaste em coro,

rasgando espaços sem destino certo

do desiludido sufocando o choro,



Abraças com ímpeto o viajante

da nau vida ,voraz em labaredas

teus acordes ferem os ouvidos

e dos que passam nem te apiedas,



Teces imagens de nuvens suaves

na distância do horizonte em brumas,

tocas a harpa do destino em sons fugazes

fazendo a vida esvair-se em violetas plumas...


                     Publicado na Antologia de Novos Autores/Vitória da Conquista/Bahia/Editora R Benedictis

Acalanto ao Deus de todos

As águas cantam dia e noite

sempre em louvor ao Criador

pelos caminhos traçados

na sua ânsia de ir em frente


No todo do Universo,

que é nossa casa desde sempre

há um Ser que nos abençoa,

protege e sabe de nós


A Ele que não podemos ver

a não ser através do que criou

deixemos um acalanto de fé

simples oração em louvor


Meu Deus muito obrigada

pelo ar que respiramos,

dai-nos fé e muita paz,

alimento e saúde a todos


Olhai pelas crianças e idosos,

a todos que doentes estão,

dê paciência aos que sofrem

e esperança ao nosso coração



N. Marilda



*Cantoria*


Acordo com o canto do sabiá que faz morada no décimo segundo andar da tuia holandesa, plantada no jardim. Ela é tão alta que virou um prédio aos pássaros, que em seus mais diversos andares fizeram ninhos que espero conseguir fotografar em breve.

O casal de sabiás habita o décimo segundo, no oitavo moram as coleirinhas e mais abaixo um casalzinho que ainda não identifiquei. Todos são bons vizinhos e pagam o aluguel com seus cantos maviosos  que a certa altura misturam-se,  formando estranha sinfonia, quase impossível de distinguir as modulações.

Creio que alguns outros também tentaram morar ali , mas não conseguiram ainda, visto que a planta está quase toda ocupada. Vejo tantos hóspedes também chegando e indo, voos rasantes, roubo de frutas no pomar,  em bicadas que marcam mesmo as que ainda não amadureceram,  as infalíveis necessidades em algumas partes, tatuadas nos muros ao redor que são bem altos e só a chuva os lava.

Dançam o tempo todo em revoadas pelo espaço e pousam alegres chilreando sempre, pois eles sabem solfejar em notas alegres a alegria de estarem livres para ir e vir.



Esta é uma festa da natureza

a vida em linda expressão

fazendo show no palco do jardim

para deleite dos olhos e coração





*Solitude*


A alma canta...canta...

flutuando leve como sempre

entre as nuvens da imaginação,

em meio aos raios do sol poente

mas que ainda aquecem o coração

Solitude na canção do vento

junto ao coro de passarinhos

num dueto bem desafinado

que surpreende o bom ouvinte,

num misto de emoção e prazer

mas sem perder o requinte

Solitude no coração apaixonado

envolto em sincero querer,

sentindo a vida em cada segundo

esperando apenas por você,

para juntos seguirem felizes

mostrando esse amor ao mundo

*Ser (ou não ser)


Há alguns momentos em nossa existência, muitos deles, onde de repente nos vem a vontade de introspecção total e procuramos em nós mesmos o refúgio, como se fossemos uma ostra dentro de seu esconderijo .
Ali muitas vezes, como ela, viramos pérola, porém em outras, somos apenas esboço de algo que não chegou a vingar como pensávamos ou queríamos. Precisamos então de muita força para sair da escuridão, renunciar e tentar obter a paz que a alma necessita, sem ferirmos mais a nós e a ninguém.
Caminhar novamente em direção a um novo ideal, com forças para seguir em frente, na cadencia de novo dia, fazendo a vida valer a pena neste palco terreno, onde atuamos e também vemos outros atuarem.



N.Marilda 

24/04/10

Frase do dia


*A Música acaricia a alma de tal maneira que esta se expande até o Infinito* (Marilda)

Ser poeta


O poeta faz mergulhos em seu interior,
garimpando nele toda sua ansia de dizer
em palavras que soam como burburinho
de uma saudade,do amor e seus encantos,
O vento que passa diz muito a um poeta
traz mensagens que ninguém mais ouve,
céu azul distante alegre ou triste que seja
manda inspiração que se acolhe em versos
Assim como pássaro na manhã orvalhada,
canta o poeta,seus ritmados acalantos,
trazendo tranquilidade e paz às almas
envolvendo-as com suas notas nos versos
muitas vezes risos,outras vezes prantos

N.Marilda- Direitos Preseravdos

*Opereta na roça*


Uma orquestra afinada fez espetáculo
grátis em muito som e alegria,
era formada por um passaredo
que no jardim fazia estripulia

Foi lentamente que tudo começou
chovia fino na tarde calorenta,
como se fosse tudo bem ensaiado
veio a música, nunca ouvi tão barulhenta,

Cantaram saudando mais um dia
que já ia no horizonte lentamente,
na roça tudo começava  a adormecer
e o sussurro da noite se fazia presente,

Um fascínio rodeou minh'alma
como sempre nas letras em acalanto,
frente à face ainda oculta da lua
como o passaredo tentei um novo canto

*Cantiga Crepuscular*




Estou colocando aqui o texto que recebi em interação ao meu,escrito pelo poeta Oklima






CANTIGA CREPUSCULAR




Crepuscular cantiga sobressai

das casas acostadas ao poente,

alçando ao céu do dia que se vai,

anseios de felícia permanente.



Ave Maria! A prece, aos poucos, sai

suavizando a alma, corpo e mente:

Santa Maria, Mãe de Deus, rogai

pela paz dos espaços dessa gente!



A noite envolve, em volta, o tom das cores,

enquanto as flores floram para tê-las

sempre presente, para serem flores.



A Virgem Santa, lá do céu, ao vê-las,

esparge sobre a terra os seus favores,

fulgindo flores de milhões de estrelas!


Odir,de passagem

*Crepúsculo*







Na tarde dolente que se vai

aos poucos entregando sua luz,

fica o som de mais uma Ave Maria,

lembrando, em acordes, a Mãe de Jesus.



No crepúsculo voltam lembranças

de momentos muito bem vividos,

das horas em que, ouvindo a música,

imaginamos estar entre os entes queridos.



Com perfume de muita suavidade,

as plantas exalam. em agradecimento,

neste momento de oração e descanso,

natureza e alma em paz... Lindo momento!



Os acordes, aos poucos, vão cessando.

Apenas o eco ainda se faz presente.

Corações se unem num só enlace,

vem a noite ofertando estrelas de presente.

*Prelúdio Outonal*


Vento frio que arrepia a alma
Perpassando poros, suaves tangencias
Trazes também dos rumores da vida,
Silvos,fragrancias e reticencias

Mostras assim cálidos suspiros
Das brumas que cruzaste em coro,
Rasgando espaços sem destino certo
Do desiludido sufocando o chôro

Abraças com ímpeto o viajante
Da nau vida ,voraz em labaredas
Teus acordes ferem os ouvidos
E dos que passam nem te apiedas

Teces imagens sutis em suaves nuvens
Na distancia do horizonte em brumas,
Tocas a harpa do destino em sons fugazes
Esvaindo a vida em violetas plumas




Poesia publicada na Antologia Brasileira Novos Autores 2008

*SOU*


Quando falo de chuva fina, que até gosto dela, é verdade,
ao dizer de algumas tristezas e mazelas verdade é,
O frio fere minha pele alva deixando-a marcada,
porém ela o acolhe com carinho e o faz calor
Por isso nenhuma intempérie me desanima
estou sempre procurando ver em tudo o amor,
Assim como a lua, em fases distintas nas estações,
tento iluminar a noite apenas para enciumar o sol,
Roubo sons do vento e com eles faço minhas canções,
sei amar muito, ao meu jeito, sem nada dizer,
Sou ponderada demais e sincera ao extremo,
também lúcida nos pensamentos, mas sei enlouquecer,
Para mim tanto faz se há claridade ou escuridão,
pois minh'alma flutua sempre mais forte que meu corpo,
que cansado, muitas vezes, quase explode o coração,
De saudade me alimento sem nunca enfastiar,
tudo de bom que plantei sei que irei colher,
Meu jardim está sempre florido em perfumes,
mesmo que no tempo seja cinza outono,
Seguirei mais este dia, mesmo que seja em passos solitários,
sendo mais eu,
solfejando minha canção de vida sem notas de abandono...


N.Marilda- 

**Saudação**


Que venha o novo dia
carregado de perfumes
mesmo que sejam das flôres
do ontem que se foi,
deixando apenas no ar
uma inesquecível fragrância
de saudade

**Eu canto**


Vem essa vontade de cantar
um refrão, num acorde diferente,
com toda alma fazendo ressoar
para que assim me ouça toda a gente

Canto na manhã que se anuncia
sob o sol reluzindo dourado,
canto ao tom do meio dia
com um minueto bem afinado

Canto quando a tarde se vai,
deixando imensa saudade
do dia que aos poucos cai
no horizonte em tenue claridade

Canto à noite para as estrelas
em duo, com o bocejo da lua,
ah...eu gostaria de poder tê-las
para enfeitar a canção que é tua

Uma frase:VIDA



Sigamos a canção da vida em cada nota bem tocada,senão a melodia findará e não a queremos desafinada...
Pois esta canção VIDA só uma vez é executada ...

*Amigos*



Simples palavras apenas para dizer
que a amizade é um grande tesouro
que guardamos dentro do peito
como um pote do mais valioso ouro

Ter um amigo é a maior felicidade
a qualquer hora nos oferece
um ombro que serve de abrigo
que o coração muito agradece

Ter um amigo é ter luz na escuridão
estrelas brilhando ao meio dia
um amigo faz bem ao coração
amigo é amor,flor,poema e melodia

Abraços e bjs. fraternos a todos

Musicando com Arnaldo Antunes(Parceria)


> Edição Nº1 > Regulamento > Participe > Envie sua música > Dúvidas frequentes > Fale Conosco
Já pensou em ser parceiro de Arnaldo Antunes em uma música inédita? Aqui na seção Musique, do Caderno 2+Música, o artista manda a letra e você, a música. Para participar é preciso seguir o regulamento com atenção. O interessado deve criar uma canção (harmonia, melodia, ritmo) para a letra publicada nesta página. A música deve ser gravada e enviada para este site a partir do dia 29 de março. O parceiro, que será escolhido por um grupo de jurados e pelo próprio artista, lançará a composição nos estúdios da Radio Eldorado , na TV Estadão e no Caderno 2+Música. Boa sorte!

Planta colhe, de Arnaldo Antunes
o arroz
que se planta se colhe
o amor
que se planta se colhe
o que vai
volta um dia mais forte
o que fica
escondido explode

o feijão
que se planta se colhe
solidão
que se planta se colhe
se fugir
a estrada te escolhe
e o destino
também não dá mole

ao redor
pra onde quer que se olhe
a saída
é uma porta que encolhe
aflição
que se planta se colhe
algodão
que se planta se colhe

se cair
nessa chuva se molhe
sempre há sede
pra dar mais um gole
toda culpa
se planta e se colhe
na garupa
do tempo que corre

cada grão
que se planta se colhe
furacão
que se planta se colhe
cada um
inaugura sua prole
pedra dura
procura água mole

tudo vem
quando o tempo é propício
todos têm
sua porção precipício
o que sabe
não busca sentido
o que sobe
retorna caído

ilusão
que se planta se colhe
confusão
que se planta se colhe
num segundo
o desejo te engole
só não corre
esse risco quem morre

> Ver a Letra Completa

*Parnaso*


Chora minh'alma...chora e transborda seus delírios
porque outra coisa não resta a fazer nesta vida,
se tal choro ajuda a afogar pensamentos vãos
busque nele em murmúrio solitário a sua guarida

Porque a vida com puras ilusões a surpreende
conhecendo dela apenas dúvidas e ingratidão
sobreviva pelo menos às tormentas e às sombras
não deixe morrer neste corpo um triste coração

Entretanto se teu choro for mesmo incontido
nos teus últimos instantes neste rubro ocaso
deixe pelo menos que se molhem em letras
o poema final onde te entregas ao parnaso

FELIZ PÁSCOA!


Páscoa, tempo de renascimento e de reforçar da fé.
Que todos nós consigamos ter no coração a força necessária para amar a todos como irmãos, perdoar as fraquezas e ajudar uns aos outros dentro do espírito cristão.
Desejo a todos uma Feliz Páscoa, dentro do espírito da Paz e do Amor e um pouquinho de chocolate a todos, seguindo nossa tradição.
A foto é do maior ovo que se tem conhecimento, apenas uma curiosidade e uma realidade impossível de se ter para os chocolotras de plantão.

O som do silencio


Em fá sustenido iniciei uma canção
queria com ela viajar pelas nuvens
num arranjo muito sonoro e único
feito apenas para seu coração

Em sol maior depois mudei a escala
para mais forte e afinado acorde
com ternura dedilhei glissando
perdendo-se o som pela sala

Uma cantiga tem que ser ouvida
senão ela nada mais pode significar
quando cala no ar vira fantasma
esboroa-se como cinza a vagar

Você porém não a pôde ouvir
entrei com último acorde no degredo
fechei o piano no palco da vida
ficou comigo o amor e um segredo

Em dó maior minh'alma grita
a sua música ficou incompleta
uma partitura está aqui esquecida
o adeus na cantiga é o que resta

**SOM**




Com a luz do sol
vou pintando sensações
faço formas retas
e curvos corações
Preencho todo o espaço
em arabescos grifando
neles coloco laços
para o mundo ir enfeitando
Recrio assim meu viver
arte pura e sem pretensão
arremato tudo numa partitura
compondo à vida uma nova canção

Trem da Vida


Lá vai um trem levando pessoas que consigo carregam sonhos.
Os vagões em seu cantar sobre os trilhos provocam a necessidade de meditar e muitos ficam então voltados para si mesmos, sem perceber que a paisagem vai mudando paulatinamente, oferecendo quadros dignos de observação. Pessoas ali tão cabisbaixas, expressões bisonhas, outras até sisudas demais.
Vai o trem carregando vidas, tem seu traçado marcado e nada o afasta do caminho a percorrer. É máquina feita pelas mãos do homem, ferro embrutecido e forjado, para servir a quem dele precise para vencer distancias ou levar cargas.
Medito...nossa vida é um trem, vai nos levando, muitas vezes cheios de esperanças, outras sem muitos sonhos, ela vai no caminho, talvez, traçado, mas sempre com possibilidades de mudanças.
Há muitas estações de parada no trajeto, o que nos permite repensar se continuamos a viagem ou fazemos uma pausa para recomeçar, tentando mudar tudo. Por mais que estejamos perdidos, sem rumo ou desanimados, devemos nos esforçar para prosseguir a viagem da vida da melhor forma possível, aprendendo com erros do passado a fazer um presente melhor.
Devemos isto a nós mesmos como seres humanos, procurar sempre o nosso caminho tentando ver nele, não apenas as pedras e buracos e sim a montanha, que mais adiante nos mostra a necessidade de escalar e nos tornar mais fortes, vendo lá do alto dela a magnífica paisagem que há por trás da névoa.
Não podemos deixar o nosso trem vagar à toa levando apenas suspiros de tristezas. Vamos juntos ver que a cada dia surge uma aurora reluzente, espalhando luz aos quatro cantos para aquecer nossa vida e fazer com que renasça a esperança. Assim a carga de nosso trem ficará mais leve e a viagem será mais prazeirosa.
Se algo terminou ou não foi como queríamos, busquemos outro amor, outro tipo de vida, outros projetos .Não será por causa de instantes de infelicidade que iremos parar a viagem do trem da nossa vida.

*Janela...mirante antigo*


Janela mirante antigo,
de onde via o tropel dos cavalos
em louca disparada empinando-se em meio à poeira
puro sangues agitados,relinchando em vozes alegres
prestes a seguir para a cavalgada ao sol da manhã,
descendo barrancas,rompendo os matagais abaixo
violando a terra com seus cascos fortes e escuros

Janela mirante antigo,
na centenária terra dos sonhos bordados na infancia,
das noites claras de luar e das serenatas de sapos
que coaxavam no brejo rompendo o silencio,
ali tudo era belo entre relinchos,mugidos,toque de sino
vozes da natureza em meio à
solidão de meus caminhos

Janela mirante antigo,
onde aprendi a cismar fazendo imagens nas nuvens,
com a chuva conversar mesmo nos temporais,
a orar de mãos postas observando o horizonte
esperando respostas do vento sul,
também cantando minha primeira melodia
pela amplidão daqueles ermos

Janela mirante antigo,
moldura perfeita de minha infancia,
que ainda lá está desafiando o tempo
como que à minha espera sempre
para enlevar-me e curar a saudade doída,
breve ficarei aí contigo novamente
Janela...mirante de minha vida

Editei o texto em homenagem ao aniversário de meu irmão Tom ,muitas vezes comigo na janela em nossa casa da fazenda(foto)

**SONS**


Os sons reverberam por onde nem imaginamos,está em nós,ao nosso redor o tempo todo e infinitamente.Mas apenas o iremos distinguir em nuances se deixarmos que os ouvidos capturem e liguem-se no fato de que muitos são sutis demais e outros pelo contrário fazem estardalhaços.

Nosso dia a dia está carregado com sons da natureza em geral que muitas vezes passam despercebidos,mas uma britadeira ligada é o tipo de canção que ninguém quer ouvir,porém o que mais será notado,são acordes gerados pelo trabalho, compostos pelo mesmo e há milhares de outros necessários.Mas todos apreciam um pássaro cantante e lindo no poste ou árvore que é fácil de ouvir e ver ,mas apurando a audição perceberemos também o barulhinho dos galhos de arbustos que balançam suavemente à brisa e ali compõem sua melodia quase imperceptível,mas contínua.

Quando a chuva cai,seja em temporais fortes ou em plácidas gotas ela também faz melodia em fusas e semifusas batendo no chão ou nas vidraças,intermitentes e compassadas,uma escala musical completa em pianíssimo ou em "andante molto forte" .
Ao caminharmos fazemos o som de nossos passos apressados ou lentos,num toque ao chão e cada passo é um acorde de canção da vida que se vai nesse andar.
O ruflar de asas de uma borboleta também é quase inaudível,mas constante,faz parte da vida dela,cabe a nós tentar ouvi-lo,mas creio que ninguém ou quase ninguém já as ouviu batendo as asinhas num soar que apenas arranha o silencio da forma mais suave que possa existir.

A música de Secret Garden(Sometimes when it rain) faz-nos relaxar e meditar e diz (para mim) de um diálogo entre o "violino e o piano" sobre a chuva que cai e os alegra e entristece ao mesmo tempo,pois pode ser tanto a chuva benéfica nos canteiros de um real jardim,cheio de lindas plantas ,quanto da chuva de lágrimas dos olhos tristes de saudade.
Cada pessoa interpreta o som de acordo com seu momento .

Sabe você qual é o som de seu coração?


Procure ouvir aqui,pesquisando a música,na barra do youtube, o "SOMETIMES WHEN IT'S RAINS" de Secret Garden,tentando ouvir o diálogo violino/piano em acalanto com a chuva do jardim.

*Fim de semana*


Domingo é dia de tudo ou pode ser dia de nada...começa na preguiça da manhã que parece querer deixar o corpo estatelado na cama ou sofá por horas,sem pensar em nada,a não ser o descanso.Mas de repente,vem o sol,a brisa e a vida parece convidar ao movimento e lá vamos nós,dando pulo da cama e indo para o que der e vier.O tempo convida ao passeio,a prosa sem necessidade de compromisso com horários,ou a uma boa leitura daquele livro interessante que paramos na metade...enfim são muitas opções boas para usar o tempo ocioso e o que fazemos?Ficamos na dúvida,começamos uma coisa ou outra e quando vemos ,metade do dia já se foi e parece que não aproveitamos nada.
Nessa mais aquela,vem a tarde,hora do cafézinho em família numa visitinha básica,dois dedos de prosa com alguma vizinha,uma caminhada ou shopping e pronto:Chega a noite devagarinho,lembrando-nos de que o dia seguinte será corrido e então ,depois de jantar,vamos descansar,talvez vendo algum programa chulo na Tv aberta ou na Tv a cabo que nunca passa os filmes que gostaríamos e se for passar,será tão tarde que não aguentamos esperar.
É um círculo vicioso da vida...sentimos então saudade do fim de semana que se acaba e esperamos ansiosamente pelo outro,para tudo recomeçar.

*Ode a uma Rosa*



A rosa que ao luar dormia só
ouviu da noite um clamor insano,
eram as vozes de brisas que vieram
de longe trazidas por engano
Sussurravam em notas de agonia,
a música que na sombra leram,
era uma partitura estranha em melodia
num emaranhado de acordes que vieram
Ali entre orvalho e serenatas,
estremeceu a rosa solitária no jardim
o porque de seu abandono nunca entendeu,
recolheu os espinhos exalando em silencio,
e pouco a pouco,enfim adormeceu

*Canção da Vida*


"Componho no dia a dia um desafio em que junto cacos e pérolas.Aos poucos,como sinfonia,ora vibrante,ora suave,traço minha obra onde coloco sonhos e pesadelos,risos e lágrimas,gritos e silêncios...
Se tivesse o talento de Mozart,essa canção seria muito mais sonora e vibrante,atingiria a distancia ressoando ecos de ternura,penetraria nas almas,mostraria a elas a dádiva de viver cantando.
Com a minha absurda pretensão,sonho partituras reais de coros,onde tento traduzir a voz macia da brisa matinal,o quase inaudível gemido de uma flor que desabrocha,o som das pedras pisadas pelo indiferente caminhante,o zumbido de abelhas no deleite do polén,a canção da luz das estrelas singrando o céu...
Enfim,toda natureza tem vida musical que pode ser colocada em notas e harmonia,originando assim composições sem fim.Ouço-as,e ficam ecoando em meus ouvidos,busco fazê-las canções.
Até o último suspiro serei autora...
Canção da vida...infinita enquanto música!"


N.Marilda           Direitos Reservados

*Chovendo em fusas**


O sol se foi de repente
a chuva chegou sem convite,
bate agora no telhado
na sinfonia que sabe,
Tento então com ela ritmar
lá...fá...mi
lá...fá ...mi
dó...dó.
de vez em quando um si
fora de lugar ,gotejando
sem espaço,
Pingos que não sabem a música
batem mais forte na porta de aço,
ficam pausando e só entram em fusas
capto o ritmo que sono vai dando
espero passar o som devagar
cochilo suave vai me tomando,
não dormirei
preciso com a chuva cantar
lá...fá...mi...
lá...fá...mi...
dó...dó...
si...
lá...fá...mi...

**HIBISCO BRANCO**



Hibisco Branco havaiano
Esta flor maravilhosa cuja foto aqui ilustra, é um Hibisco, das principais e lindas cores de meu jardim.
O tamanho dela é enorme, quase de uma cabeça humana e isso sem ser tratada com nenhum adubo. A flor da foto fez-me surpresa no último verão! Fui ao jardim atraída por algo, talvez o calor e um cantar de pássaros muito forte. Alia chegando parei perto do arbusto Hibisco carregado de botões e de repente ao mover a cabeça para a planta um botão desabrochou à minha frente.Tudo muito rápido, questão de milésimo de segundo, porém consegui ver a maravilha do desabrochar da flor.
Fiquei ali de plantão depois com os olhos pregados nela para ver se via o restante do seu florir, mas a olho nu não foi mais possível.Virei as costas por uns vinte segundos e notei que já estava mais aberta e assim sucessivamente até ficar com este tamanho. Só a vi no primeiro segundo de seu florescimento ao mundo e considero isso um presente da natureza a mim pois é raro acontecer isso. O fato é muito rápido e quase impossível aos olhos humanos perceberem, mas fui premiada pela planta. Logo após a floração total fui buscar a máquina e fotografei.
Agora sempre que posso fico no jardim observando tudo para ver se consigo ter este privilégio novamente.
Deixo aqui o registro desse fato que foi emocionante para mim e gostaria de saber se outras pessoas já viram alguma planta florescendo assim, como eu vi, numa fração de segundo abrindo-se para mostrar a beleza.

♥♫GIOVANNI MARRADI - Silent Rain♥♫

♥♫ Diala - ELIAS RAHBANI ♥♫ (Relaxing, soothing instrumental music♥♫

A canção de Deus

                        Ninguém jamais decifrará a canção que Deus compôs
ao criar os acordes de uma cascata em doce queda,
caem as águas despencando em notas musicais,
indizível som que podemos ouvir e sentir
O soar eterno delas podem ser gravados
mas jamais escritos numa partitura,
eles contem o mistério da vida em timbres
que músico algum os conseguirá tão puros



Neusa M.      Direitos Reservados




**Coisas de Marilda**


Não sendo muito dada aos dotes culinarísticos vou fazer excursões na cozinha de vez em quando,tangida pela nota SOL em maior...
Deixo tudo preparado,como se deve,segundo culinaristas dos poucos programas de tv que assisto.Então lá vou eu,na maior boa vontade preparar algum prato especial,sendo que mentalmente vou dizendo:Vai dar certo!! Se vai!!

Chego na cozinha que é toda equipada,digna de um grande chef,mas que geralmente nem ás moscas está,porque a deixo muito limpa e pouco usada..rs..rs..,mas lá está ela esperando-me.Faço a minha performance digna de uma atriz...ligo som,fico dançante e mãos à obra!!

Que vai mesmo no bolo??Ah..leite,ovos,margarina,farinha,fermento etc..coloco tudo no balcão e com o caderno de receitas aberto ali, porque senão erro mesmo as proporções.Pois é,um dia desses fiz um bolo que posso dizer:Maravilhoso!! Sabe que aconteceu? Coloquei o caderninho com a receita bem ao lado da janela aberta e o senhor vento, amigo refrescante mudou a folha da página e euzinha não percebi..estava no ingrediente farinha e leite condensado,mas ao ler novamente vi:Acrescente os pedaços de abacaxi em calda etc..e segui fielmente o que havia ali.

Tudo pronto no quesito massa de bolo,taquei-a na forma(nisso sou boa..Ô pontaria danada..uma pressa de acabar!).Pois bem coloquei o dito cujo no forno e saí,esperei dar o tempo e o odor bolístico impregnava o ambiente..desliguei o forno e vi que não estava um bolo muito crescido,mas ficou até razoável.

Ao cortar ,depois vi que era muito macio e delicioso...Mandei umas fatias para a minha vizinha que no dia seguinte veio pedir a receita : PelamordeDEUS!...meu marido gostou muito Marilda,êle não é de comer bolo,mas esse diz especial..dê-me sua receita..e só aí pude ver que não havia na "original "que eu segui aqueles ingredientes e também não consigo lembrar como fiz..o vento sabe,mas qual foi mesmo a página ou páginas que fui lendo sem prestar atenção??Misturei receitas e APLAUSOS a mim..criei algo que difícilmente será copiado!!

♥♫And I LOVE YOU so - GIOVANNI MARRADI(Relaxing and romantic piano music)♥♫

Esta melodia é um hino ao amor,um caminho de relaxamento da mente.

Nas asas do vento**


Saí por aí
Nas asas do vento me agarrei
em um balé endoidecido
cruzando o espaço,
com êle fascinada viajei,
Passei por onde nunca tinha ido
em você muito pensei,
Minha voz gritou seu nome
na amplidão o ressoei,
Imaginei você ao meu lado,
O vento cessou...
Acordei!

**SAUDADE**


Como é bom sentir saudade

emoção que vem de mansinho

sempre fustigando o coração

escondida num cantinho


A saudade é da vida

sentimento que mais cultivamos

tentando esquecer os fatos

muito mais nós o lembramos


Fazemos dueto com a saudade

em todas as horas da vida

cantando amores ou tristezas

que em nosso coração tem guarida

É o jeito


Caminhar é preciso,por isso lá vou nos meus dias, em direção ao horizonte..sem saber até onde chegarei continuo os passos que não podem parar.Esta é a VIDA,este é o único jeito de viver,tocando sempre em frente,mesmo porque atrás vem gente...nem poderia ser de outra maneira...a VIDA é um luxo!!

**LUA SAPECA**


A lua se escondeu

estava nua

enrubesceu,

porque eu sei

muito bem que

ela com o lago

um caso tem,

Eu a vi ali

mergulhada

com êle toda abraçada,

agora ela me viu

receosa e úmida,

sumiu,

pois ela sabe que

pelo lago

também sou apaixonada

Hoje a noite

não terá luar,

ficaremos a lua e eu,

apenas a sonhar...

**Partitura viva**


A vida é uma partitura que nos convida a nela colocarmos o ritmo e harmonizar a escala musical,de modo a executar da forma mais afinada possível a canção da nossa existencia.

Ela é a companheira da alma,somos Maestros do nosso viver e precisamos apenas de sete notas musicais para influenciar todo processo físico,intelectual e emocional,fazendo assim uma alquimia perfeita entre os sentidos.

A música ajuda a afastar a solidão,basta saber ouvi-la,pois está em tudo:

no som do vento em sibilos,

na chuva intermitente ou furioso temporal,

no chilrear dos pássaros,

nas cascatas e rios,

nas ondas do mar clamando pelas areias,

nas folhas arrastadas pela brisa de outono,

nas pedras que sob nossos passos movimentam-se queixosas,

nos beijos dados com amor,fazendo acordes no coração

Enfim...são infinitos sons e basta querer distingui-los...por esse motivo musiquemos nossa vida!

Solfejando a vida


A vida sempre é uma canção

notas timbradas a todo momento

ritmos que aos poucos se fazem

em alegres ou tristes lamentos


Partitura que se vazia

preenchemos num instante

pois a música deve continuar

em solfejos,numa constante