*Quem ama..*

Nos perdemos pelos caminhos da vida,

por intempéries separados sem piedade

pelo tempo que passou indiferente

afastando de nós qualquer felicidade



Você também aos poucos esqueceu,

sonhando venturas em outros braços,

indiferente seguiu o rumo sem ver

a pobre minha sombra em seu encalço



Buscou  e viveu emoções variadas,

fez e recebeu falsas juras de amor,

esqueceu dos breves momentos

onde meus braços lhe deram calor



A vida sempre tem dessas coisas,

vai maltratando quem ama de verdade

mantendo com carinho cultivada no peito

uma flor especial da maior raridade


Desafinada

Em si bemol pranteio a vida
mas em sol maior faço acalanto
confesso assim em melodia
que te amo...quanto e tanto!

Numa trova assim desafinada
cantando bem alto sem temer
te amo e nem sabes disso
estou ao seu lado sem me perceber

Porém sei que nada é acaso
seus passos sempre acompanhei
segui pela sombra escondida
ouvindo teu choro emocionei

Agora que o tempo passou
teu caminho mudou de lado
quase nada mais posso esperar
mas saiba que foi muito amado

VIDRAÇA

Através da vidraça os olhos quase não alcançam

o horizonte em detalhes acinzentados

descortina-se lá fora a visão da liberdade

embora ali dentro existam braços acorrentados



Sobre a mesa simples a louça especial

ornando com a toalha de renda branca e linda

tingida por pétalas de flores caídas

apenas lembranças em outra tarde que finda



O corpo transpirou e quase dormente

deixou agitar o coração em desarmonia

n'alma os sonhos aos poucos sucumbiram

flutuando apenas em sensações de agonia...