Tempo

Veja o relógio, não tem piedade,
marca as horas com precisão,
vai rodando ponteiros em sobriedade
arrastando consigo o meu coração


Tempo malvado, que tão célere corre !
empurrando a vida para depois,
atropelando momentos,induzindo à saudade
do que nem ainda vivemos, nós dois


Neusa Marilda
Direitos Reservados @

Vida fácil - mini conto

A menina habitava em rua de bairro pobre. A casa era muito simples, com varanda de onde quase não saía. Ali, dormia sob sonhos e amarguras, mal cuidada pela sua mãe que era frágil e não queria lutar pela vida. O tempo passou e só então, ao crescer, algo se modificou. Todos viram e a vizinhança comentou, mas entre mentiras e champagne, ela, o sustento de sua velha mãe conseguiu.


N.Marilda









Apagando memórias

Vasculho o céu,
afasto as nuvens,
uso a borracha do esquecimento
sem mais tristezas jogo tudo ao léu,
sigo o caminho apenas das estrelas
que refletem a esperança
no que de novo poderá surgir,
só assim entendo a vida
e a pretendo seguir


N. Marilda
22/01/16




Silêncio

Trilhas cobertas em rendas de luar,
apenas o silêncio preenchendo o vazio,
as estrelas soberanas e companheiras
anunciavam mais uma noite de estio

Passos ali nas pedras ressoavam
deixando marcas leves, com receio,
no coração apenas as saudades acompanhavam
essa ida sem volta, sem anseios

20/01/16

N. Marilda