Feliz Ano Novo !


Haverá apenas uma fração de tempo, menos que um milésimo de segundo, separando o ano velho do que irá chegar. Que neste exato momento todos dispam-se de invólucros d'alma que lhes pesem, deixem sentimentos tristes de lado, joguem fora o que não lhes cabe de bom. Será um segundo mágico, em que no calendário humano outro tempo se inaugurará, mas n'alma continuarão os amores, desejos, paz e alegria. Faça com que esses sentimentos brotem mais fortes quando as doze badaladas soarem.
Que o ano de 2.014 seja profícuo em tudo, regado com muita luz espiritual, sabedoria, discernimento, realizações a ambitos físicos e emocionais a todos.
Ano Novo, a esperança estará renovando-se a cada momento, o sorriso expandindo-se em sons, misturando-se às vibrações do universo, em imensa gargalhada, porque isso é viver.
Que venha o novo tempo, carregado de bons frutos, adocicando os momentos de cada um de nós, fazendo-nos melhores a cada dia, irmanando-nos em boas idéias, realizando-as para o bem comum e próprio. Que todas  as pessoas se abracem olhando-se nos olhos, deixando de lado alguma negatividade ou mágoas. Enfim, será o recomeço no calendário e no modo de viver de cada um de nós.
Felicidades!

N. Marilda
      

Feliz Natal !


Aos amigos de longe e de perto. Antigos ou recentes. Aos que sempre vejo ou não.Aos que aqui me visitam e a todas as pessoas que de uma maneira ou outra conheço, desejo um Feliz Natal, sob as bençãos de Deus. Muita saúde, paz, alegria, amor e o que cada um deseje mais de bom, a si e aos seus.
Que nos lembremos também que Natal não é só uma data, mas um estado de espírito.
Feliz Natal !

              




Sinais de pontuação


Aulinha básica em tom poético, apenas para lembrar que a vida corre sob o efeito dessas pontuações. Porém  não devemos colocar  Ponto Final onde Deus colocou uma vírgula.

Planeta Terra- Universo


Caminhamos todos juntos neste Planeta Terra, que roda ao redor do Sol, nossa estrela maior, perdida no espaço dentre milhares de outros. Nada disso nos pertence, apenas aprendemos o mínimo sobre o sistema solar, para poder nos situar.
Cientistas e aparelhagens ultra super modernas , nesta era tecnológica avançada, pesquisam árduamente tudo que podem há anos e anos. Alguns contradizem o que já havia sido descoberto em outras épocas mais remotas e sempre  ficam as dúvidas de um estudo para outro. Quem sabe ou saberá mesmo a verdade e o que é o Universo?
Assim é o progresso, há sempre a superação em algo: o que era apregoado como certo, passa a não ser mais, pois um estudo diferente e mais elaborado o suplantou, o que é hoje, talvez amanhã também mude.
Do futuro quem saberá?


E eu com isso?
Basta-me o luar lá no céu, para fitá-lo em noites em que Dona Lua prateada está Cheia e quer aparecer, qual rainha fazendo os enamorados suspirarem. Será que ainda existe isso nas cidades iluminadas fartamente por lampadas?
Basta-me ver as estrelas e constelações e ficar ali tentando saber qual é qual: Cruzeiro do Sul e mais uma infinidade delas, Andromeda, Centaurus, Ara Altar etc...e sem telecóspio mesmo, a não ser o da alma, tentar advinhar a amplidão.
Perco-me no infinito do espaço, sempre, demoro a voltar, sou poeta dona de míriades.


Como é bom alçar um voo cósmico, observar este azul noturno debaixo de um manto imaginário, que chamamos céu.
Até  mim chegam sons misteriosos, talvez vindos na voz do vento em cantilena, trazendo um ressoar de infinito, do espaço onde ninguém jamais tocou, fazendo companhia a esta viajante sideral, que sempre gosta de um pouco de solidão, porém sem ser solitária, onde tatua com olhar de alma este quadro natural que Deus criou.


Neusa Marilda




Encanto

Há tempos contemplo seu tempo,
de enigmático sorrir e de calar 
seu sorriso vem como canção,
acolho-o em meu pensamento
ah...ouço sua prece, sua dor,
quando esta voz chegando mansa
se instala em mim fazendo ecos,

murmurando sempre
porém sem revelar,
se é meu de verdade
esse canto, que me encanta,
em suaves acordes de amor



N. Marilda

18/11/13

Verso sepultado

O verso era poeira e nuvem,
sol e sombra, riso e choro,
cabelos ao vento, flôres e espinhos,
pingo de chuva, luz estelar,
murmúrio d'alma, melodia do coração,
todo meu verso era teu
assim como a lua é da noite,
e as ondas são eternas no mar
mas não percebeste esse presente,
agora as letras em total desalento
não mais se aprumam em poema,
os dedos enrijeceram, a alma quer calar,
transformou-se o papel
em caixa de saudade, origami de amor,
onde para sempre
as letras irão repousar



N  Marilda
31/10/13


Mil



                                   

Neusa Marilda
30/10/13

Quase um verso


                                                               N .Marilda
                                                                                   30/10/13

Saudade

É bom ou ruim sentir saudade, 
emoção que vem de mansinho
fustigando o coração,
ali escondida num cantinho

A saudade é da vida,
o sentimento que mais cultivamos
tentando esquecer alguns fatos
muito mais nós os lembramos


N. Marilda



O que perdi

Tantas coisas passam pela minha mente,
a imaginação é bem rica, porém há realidades,
no dia a dia, vem lembranças do que fiz e não fiz,
tantas coisas eu fiz e quantas perdi,
perdi tantos beijos, tantos abraços que não dei,
tantos segredos tenho e os muito que guardei,
tanto tempo se passou, gira o mundo, muito ele girou,
e um amor que não revelei,
agora você se foi, nunca se declarou,
nem insistiu,
entendi a verdade,
você nunca, nunca, nunca,
realmente,
me amou



Um arremedo de letra de canção, piegas, assim pede o coração

N. M.

Teu olhar


Amo em seu olhar, essas pupilas tão sérias,
nostálgicas, sedutoras de tudo que fitam,
espalham lampejos de luz e encantos,
que entram em minh'alma e ali ficam

Pupilas pensativas, sempre a espelhar,
paisagens misteriosas, quase impenetráveis,
lembranças singelas, também a vagar,
sim, há nelas, muitas marcas de saudade



N. Marilda



Ignotus




A mocinha da fazenda, vivia dia e noite, em seu alpendre colorido, cheio de lindas flores e perfumes variados, que a faziam levitar ao paraíso, quando a brisa os espargia. Chegavam de todos os lados, invadindo sua alma com odores impossíveis de serem descritos. Ali, era feliz e inocente, podia sonhar sempre, ficar em paz, esperando, não sabia o que. À noite, via em cada estrela do céu, uma luz a piscar-lhe diferente, como se com ela quisesse falar, mandar-lhe os recados que ansiava e nem sabia quais poderiam ser. Era um sentimento estranho, um presságio, um toque de que algo mais existia e não se revelara ainda. Tinha a sua preferida, uma estrelinha especial, com a qual dialogava em noites quietas e mornas, perguntando de amores. Poderia ter algum ? Não obteve respostas e calou. Um dia, repentinamente , sentiu que o tão sonhado e verdadeiro amor não existia. Desiludiu-se antes mesmo de o vivenciar e jurou então, sob a luz do luar e das miríades, que nunca mais ficaria à espera do que seu coração mandasse. Queria ser livre, nunca sofrer por sentimentos. Continuou em seu alpendre colorido, sol ou chuva, nuvens e estrelas, foi crescendo e passou a divagar poesia e fazer canção, naquele universo rico e colorido, mas solitário, cheio de nuances belas, mas frágeis, como cores de arco íris. No fundo de sua alma, porém, sempre ficou e ainda há uma pequena parte de sua criança, à espera de um presente, que não pede, não compra, nem mais procura. Sabe apenas que existe e é belo.

N. Marilda



Sentimentos




Muitas vezes os olhos mostram
algo que nem eles sabem,
se é alegria, saudade ou tristeza,
as lágrimas que lhes cabem






N. Marilda

Quem és ?

  • No rosto não há um esboço de sorriso, apenas os lábios, levemente abertos, quase um murmurar percebo neles, mas ali, palavras se escondem sutis

    Não quer demonstrar o que se agita n'alma que escorre suave, num olhar perdido, parece que uma tristeza profunda o mergulhou em outros mundos

    Sua alma se dilui em murmúrios leves e sua boca faz cânticos suaves à lua, enquanto seu coração prende os toques, temendo desafinar do sentimento, a melodia

    Um jeito de ser um tanto misterioso, quem és tu, que apareces em meu sonho, junto às nesgas de luar, que dançam no teto de uma noite sem fronteiras?





    N. Marilda
    26/09/13

Saudade

Saudade de você,
de seu rosto em minha mão
numa suave carícia de brisa,
a  tocar nossa canção
Saudade da tarde de outrora
dos perfumes de jasmim,
flôres a testemunhar um beijo
que parecia sem fim
Saudade que não tem hora,
chega sempre de repente,
junto com o amanhecer
até o sol poente
Saudade que à noite vaga
pela minha solidão,
querendo apenas lhe abraçar,

sentindo o seu coração


N. Marilda





Ecos de mim






Vida,
que te quero em mim,
almejando realizar sonhos,
sonhos que os quero sim,
devaneando louca,
louca... que nem sou enfim,
mas grito palavras em ecos,
que as vezes como espinhos ferem,
mesmo tendo
a voz de cetim,
como poeta
sonho...
vivo...
sou assim...
assim...
assim...
assim...




N. Marilda

Canto a tarde

Lá vou eu cantando a tarde, para com ela seguir mansamente meus passos. Sim, eu canto a tarde, faço-lhe serenatas junto ao vento, colho algumas flores, que este, impetuoso, teima em desfolhar e assim oferto-as, jogando-as pelo espaço e a tarde sorri para mim. Fica mais leve, mais doce e perfumada. Parece até que demora mais a ir de encontro ao horizonte, para que o dia descanse e amanhã volte a nos encantar. Namoro sim com a tarde, quando do campo, uma revoada de passarinhos vem comigo duetar e felizes vamos pelas horas, num canto primaveril, enfeitando o momento vespertino, que é vida aos que o observam e que pode ser noite linda, depois da alquimia de um sol já posto. A tarde traz lembranças boas, outras nem tanto, mas suas nuances de esperança pintam meu caminho e enchem de paz meu coração. Sei que em algum lugar, alguém com olhos de tarde morna, também assim a fita e então somos iguais em alma. Isso basta-me para ser feliz. 

09/09/13













Canto, na verdadeira acepção da palavra, meu tipo de voz é Mezzo-Soprano, um tanto rouca e desafinada.

*Parnaso*

Chore minh'alma...chore e transborde seus delírios,
porque muitas vezes, esta é exigência da vida,
se tal choro, ajuda a afogar pensamentos vãos
busque nele, em murmúrio solitário, a sua guarida

Porque a vida com puras ilusões a surpreende
conhecendo dela muitas dúvidas e ingratidão,
sobreviva pelo menos às tormentas e às sombras
não deixe morrer, neste corpo, um triste coração

Entretanto, se teu choro for mesmo incontido,
nos teus últimos instantes neste rubro ocaso,
deixe pelo menos que se molhem em letras,
o poema final, onde te entregas ao parnaso





N.Marilda


A Música

A Música, em sua pura essência, é a voz de Deus, entoando hinos pela eternidade










N.Marilda

Novo dia

Que venha o novo dia
carregado de perfumes,
mesmo que sejam das flores
do ontem que se foi,
deixando apenas no ar
uma inesquecível fragrância
      de saudade





N.Marilda

Algo

Em algumas horas
de solidão,
brigo com o vento
culpando-o de sua desafinação,
mas depois me aquieto
e a ele agradeço,
por trazer a mim
o perfume que de longe chega,
nele sinto a presença de algo maior,
assim como o calor que me aquece
e que vindo assim, passa-me
em suave tangencia mistral,
as notas de um distante amor


N.Marilda
02/08/13



As vezes...

As vezes
renego a poesia
e toda e qualquer arte,
quase só, sigo em mim,
juntando do quebrado coração,
os pedaços que perdi 
pelos caminhos, onde tentei,
estar perto das belezas
das letras, da música, do amor,
perto de ti...




N.Marilda

31/08/13

Através da Vidraça

Pela janela ela nota a vida

o horizonte em detalhes acinzentados,

descortina-se lá fora a visão da liberdade

embora ali dentro, existam braços acorrentados



Sobre a mesa simples, a louça especial,

ornando com a toalha de renda branca e linda,

tingida por pétalas de flores caídas

apenas lembranças em outra tarde que finda



O corpo transpirou e quase dormente

deixou agitar o coração em desarmonia,

n'alma os sonhos aos poucos sucumbiram

flutuando apenas em sensações de agonia...





N. Marilda

Tempo

O tempo é uma conjugação inexorável de verbos, as ações que podemos fazer, o caminho a seguir, cada passo a ser dado, cada segundo em que o ar em nós é inspirado mantendo a vida. Esta vida que é o nosso tempo e cada um tem o seu, dentro da sua, ou muito melhor, cada um tem a sua dentro desse tempo, que não sabemos medir até onde irá.
Por isso conjuguemos nosso verbos expressando as ações da melhor forma possível no presente. O amanhã não existe, será futuro, que se chegar deixará sempre saudades do ontem.
Nascer, crescer, amar, cantar, rir, chorar, falar, abraçar, trabalhar, chegar, partir....
Na vida, tudo é marcado com momento certo para acontecer.
Tudo é verbo VIVER enquanto houver tempo.


N.Marilda


Canção a você

Venha...
Cantarei o amor só a você
salpicando notas musicais,
como se estrelas fossem
por sobre o seu caminho,
onde sei, vaga pela noite,
com um olhar perdido
ao longe, sempre sózinho,
talvez desiludido, pensando em mim,
em meu carinho

Venha...
Meus braços o esperam
no acalanto de muitos toques,
minha voz murmura seu nome
em sonhos, dias e luas,
sinto sua presença
      beijos de flores, 

      que exalam sempre a mim,
     lembranças apenas suas

                                                                                 

27/06/12

Lua sem luar

Como a lua
viajo o universo todo,
enigmática,
já não buscando o sol,
ele pertence ao dia
Tenho uma face
que 
as vezes se esconde,
cheia de caretas
que assustariam,
por isso nesta fase
não sou cheia, nem minguante,
muito menos crescente ou nova
sou uma lua vazia!


Neusa Marilda
Lavienrose        

Poetrix Tempo

Tempo
A árvore da foto, cujo nome não sei, me encanta sempre. Fotografei-a há dias em sua florada anual, onde estende braços galhos esqueléticos em direção ao céu, ofertando sua vida e flores.




Mal de amor

Se ninguém o machucar no coração é porque nunca te amou
O amor machuca sempre, mesmo que seja sem querer,
mas o coração dolorido se aquieta, não reclama,
cura-se no próprio remédio desse bem querer


N.Marilda

Cabo Canaveral

Em minha última viagem aos Estados Unidos fui conhecer a NASA em Cabo Canaveral.Foi a realização de um sonho antigo.Pude estar em vários lugares onde são permitidas as visitas,ver os antigos foguetes em exposição etc...Tirei muitas fotos com astronauta que por lá passava, entrei numa réplica de um enorme e fantástico foguete e no ônibus espacial,admirando toda a tecnologia da qual nada entendi,mas que mostrava bem o intensa pesquisa na área.Pois bem, depois de sair de lá em direção a Miami, eu, com minha bolsa carregadinha de "souvenirs" comprados lá em Cabo, e a sempre companheira máquina digital dentro, achei por bem esvaziá-la um pouco e levar a máquina dependurada no braço.Porém um lugarzinho da correia que a prendia foi partindo aos poucos, sem que eu percebesse.Ao paramos num local de comércio, perto da Free Way, para comprar água e lanches, que a bendita, querida e rica máquina cheinha de fotos da viagem caiu, num repente, na água de uma lagoa onde eu já me posicionara para fotografar.Foi tudo muito rápido, um movimento desastrado, um escorregão e não consegui salvá-la desse tombo inesperado.Lá se foram as lembranças lindas dessa parte da viagem, afundando vagarosamente, sem chances de resgate.Agora teço outro sonho, um  novo passeio por lá e desta vez amarrarei a máquina firmemente ao pescoço, se ela quiser nadar, irei junto!

Circo da tristeza

A alegre e linda menininha era pobre e quase nunca tinha sonhos realizados. Um deles era conhecer um circo e ali ver animais e acrobatas, trapézios e palhaços engraçados. Pedia insistentemente para sua mãe levá-la  e esta, trabalhando dia e noite, para sustentar os filhos não tinha forças, nem dinheiro para tal presente. Assim passou certo tempo, até que numa tarde de sexta feira, uma música barulhenta irrompeu pela rua, trazendo vozes juntas, anunciando que um circo estava chegando ali na cidade. O carro de som era enorme, pessoas em cima dançando, muita cor e alegria, além de um caminhão com jaulas na carroceria, mostrando às pessoas alguns animais. Foram descendo a avenida principal daquele bairro, onde adultos e crianças paravam para ver e entre elas, a pequena menina, que saiu sem sua mãe perceber e foi até a rua onde passava a caravana. Ela estava alucinada pela visão e correu atrás do desfile circense, acompanhando-o por vários metros enquanto o trânsito estava impedido. Um palhaço lá do alto, jogava balõezinhos coloridos que iam pelos ares enfeitando mais ainda a tarde que caía lentamente.,O desfile foi logo embora virando a esquina e então a garotinha viu um dos balões caindo ali, quase perto dela, sem pestanejar, em sua inocência dos quatro anos, correu para o meio da rua para pegá-lo. Conseguiu apanhá-lo, e brincando com ele entrou de forma inesperada à frente de um carro que descia a avenida, a mesma já estava com o trânsito normalizado, foi atropelada e seu frágil corpinho foi jogado para longe. Ali naquele asfalto ela caiu, abraçadinha com o que restou de seu balãozinho, no rosto um misto de sorriso e surpresa. Morreu no mesmo instante, realizou o sonho de ver um circo, pagando com a sua inocente vida pelo momento ansiado.
Sua mãe jamais se recuperou  da perda e tem depressão até os momentos atuais.
Uma fato real, de uma ex aluna minha da classe infantil, onde lecionei certa época, para aplicar o Método Montessori, a nível de experiência em escolas infantis públicas.

N.Marilda



 Foto retirada do Google

A música é eterna


Hoje penso...



Penso que a música é uma resposta ao desconhecido íntimo que nos habita a alma e o coração.Falo do coração porque assim o fizeram, símbolo dos sentimentos, mas sabemos que estes nascem dirigidos pela nossa mente.De qualquer forma, ela, a eterna música, seja de que ritmo ou modalidade, for faz bem a todos.Quando a Música chega, ela percorre horizontes inimagináveis.Qual o destino dela, o seu porto ou onde fará seu pouso conduzido por suaves ou fortes notas de acalantos?Quem o saberá?

**A noite nasceu de um toque do crepúsculo
que embalou-se na melodia do tempo,
o amanhecer veio depois, suavemente,
espargindo acordes sonantes sem receio,
a alquimia estava pronta, soaria eternamente.**

Neusa Marilda
Lavienrose







Alquimia



                 
Neusa Marilda_Lavienrose
                         

Página virada

Num pedaço de papel, o suave perfume
da saudade, ali em letras tatuada,
uma carta de amor que permanece ainda
no fundo de uma gaveta bem guardada

Letras marcando uma época venturosa
onde um amor feliz ainda melodiava,
as notas da canção, composta apenas,
a alguém que de verdade se amava

No coração agora, apenas a lembrança,
dos alegres momentos que vivenciou,
o tempo sem dó,nem piedade, fez sua parte
este amor bonito consigo carregou

Porém não se deve chorar tanto o passado
apenas cultivar na memória o que foi bom,
compor outras histórias seguindo a vida,
cantar novamente, mas em outro tom!


     

O cio da terra


Ainda é pleno inverno, mas quando o sol aquece bem o dia, sentimos no ar, um sutil perfume de uma primavera que não tardará. A brisa colhe pelas plantas que dormem, muitas vezes orvalhadas, um suave sinal de vida em ebulição, certamente as raízes preparam embaixo da terra uma germinação lenta, mas forte e a planta sentindo-se revigorada agradece com alguns brotos já em gestação.
Tudo isso que se observa é o prenúncio da nova estação, onde com certeza, o sol brilhará mais e a paisagem ficará mais linda, ofertando aos nossos olhos o quadro feito pelo Criador, em todas as nuances e variações possíveis, onde vemos a presença Dele.
As noites sob o orvalho, ocultam o beijo úmido onde toda a natureza bebe de um novo cálice, a brindar lentamente o novo tempo que virá. Há o cio, que a terra vai conduzindo suavemente para que a vida não cesse, na florescência tímida da flora e da fauna também, onde animaizinhos gestam seus filhotes na perpetuação da espécie.
Devemos amar este tempo, esta solidão e pausa que se estabelece, pois sabemos que nas mudanças quase invisíveis e sutis, a natureza está ali, prestes a presentear-nos com seus perfumes e belezas.

N.Marilda



✿ ♡ ✿ Frederic DELARUE - The Power Of Silence



Penso que a música é uma resposta ao desconhecido íntimo que nos habita a alma e o coração.Falo de coração porque assim o fizeram símbolo dos sentimentos, mas sabemos que estes nascem dirigidos pela nossa mente.De qualquer forma, ela, a eterna música, seja de que ritmo ou modalidade for faz bem a todos.Quando a Música chega, ela percorre horizontes inimagináveis.O destino ,o porto, o pouso, quem o saberá?

**A noite nasceu de um toque do crepúsculo
que embalou-se na melodia do tempo
o amanhecer veio depois, suavemente,
espargindo acordes sonantes sem receio,
a alquimia estava pronta, soaria eternamente.**



Neusa Marilda
Lavienrose

Ouço seu coração

Eu posso ouvir o clamor de seu coração à distancia, porque eu amo a música de fundo que nossas almas tocam. Na amplidão, unem-se as notas, em sonhos que nos fazem bailar quase enfeitiçados, num pleno encontro de ternura e emoção.




Cena inesquecível

                         Quando a vida era bem mais cor de rosa...
Assim sem questionar nada ia crescendo,creio agora,na quase total inconsciência do que era a vida realmente.
Porém sempre é tempo de aprender e ele encarregou-se de mostrar-me a lição num dia de quase dezembro,que anunciava-se lindo como sempre,na despreocupação de criança solta pela fazenda.
Por mais que o tempo passe,a cena da infância permanece e na lembrança do fato republico o poeminha abaixo onde tentei resumir o fato marcante,principalmente porque tinha apenas nove anos e a vida era muito cor de rosa!
Um momento real ocorrido num dia de tempestade forte e vento,muitos relâmpagos e trovoadas também.
Araguary estava ali no descampado,não sei porque não o haviam recolhido à baia como aos outros e ele foi vítima de um raio.O resumo é que logo veio a triste notícia e fui junto com as pessoas procurá-lo,achamos um tempinho depois,ainda agonizante.Tive pela primeira vez a visão da morte,uma realidade brutal para minha idade,pois nunca havia deparado com cena assim.

                       
 Pelos campos verdes passeavas comigo
   manhãs inocentes com o sol despontando,
   íamos juntos aos vales e morros
   correndo,correndo,quase flutuando...
   
Amizade pura e verdadeira nos unia
   até palavras chegamos a trocar!
   você ficava sempre atento e feliz
   esperando a hora de me avistar...
  
Saltavas de puro contentamento
   marchavas com garbo a desfilar,
   éramos crianças alegres despreocupadas
   pela fazenda,só pensando em brincar...
   
Certo dia de chuva e muitos raios
   passei a vista ao longe e não o vi,
   onde estavas? escondido ou atrasado?
   não me esperou e algo estranho pressenti...
   
Saí correndo pela tempestade que do céu
   mandava água  e formava forte enxurrada,
   avistei-o caído ao longe e me dei conta
   de que havia alguma coisa errada...
   
Foi então,com susto e dor que presenciei
   uma das cenas mais tristes que já vi,
   ele deu-me um último olhar e suspirou
   um raio havia matado meu cavalo "ARAGUARY"...
                        
  N.Marilda
Lavienrose