Poema incompleto

Conhece-te a ti mesmo, diz o antigo ditado

Sou um longo poema
ainda mal começado,
mas tecido no livro da mente
em verbos, prelúdios, cantares
Nele serei a eternidade
ou apenas o instante,
a esperança que não morre,
e em cada espaço branco
o princípio e o fim

N.Marilda

Lavienrose



3 comentários:

  1. Lindo, Marilda!
    Será que um dia conheceremos o nosso escritor?

    ResponderExcluir
  2. Adorei a tua trova; achei bela e expressiva!

    ResponderExcluir
  3. Muito lindo,Marilda e que a esperança não se afaste nunca! bjs, chica

    ResponderExcluir